Epicondilite Lateral ou Cotovelo do Tenista

Compartilhe em suas redes sociais:

Epicondilite Lateral ou Cotovelo do Tenista

Em 1997, aos 20 anos de idade, Gustavo Kuerten venceu o aberto de Roland Garros, um dos torneios mais importantes do circuito de tênis mundial.

A conquista mudou a história do esporte no país, já que muitas pessoas, motivadas pelo menino da Ilha (ele é de Santa Catarina), passaram a praticar a modalidade.

Com o crescimento do tênis no Brasil após a conquista de Guga, cresceram também as lesões, pois o esporte atinge muitas partes do corpo, sendo o cotovelo uma das principais.

Uma das lesões mais comuns entre os praticantes de tênis é a chamada epicondilite lateral, também conhecida como “cotovelo do tenista”.

Causas da Epicondilite Lateral

A epicondilite lateral ocorre quando os tendões desta parte do corpo estão sobrecarregados, geralmente por movimentos repetitivos do punho e do braço. Ou seja, a epicondilite lateral é causada pela repetida contração dos músculos do antebraço – usados para endireitar e levantar a mão e punho.

Os movimentos repetidos e o estresse para o tecido podem resultar ainda em uma série de pequenas lesões nos tendões que ligam os músculos do antebraço na proeminência óssea na parte externa do cotovelo.
Como o próprio nome diz – cotovelo do tenista – jogar tênis é uma das principais causas de cotovelo de tenista.

Porém, muitos outros movimentos de braço e antebraço com repetição, como digitação e uso do mouse, também geram a mesma dor.

Sintomas da Epicondilite Lateral

1. Dor na Região dos Tendões

A dor de cotovelo do tenista ocorre principalmente onde os tendões dos músculos do antebraço se originam, na parte óssea externa do cotovelo, podendo se espalhar no antebraço e no punho.

2. Fraqueza nas Mãos

Outro sintoma é uma fraqueza que dificulta um simples aperto de mãos, pegar um objeto, virar uma maçaneta, digitar ou escrever.

Tipos de Tratamento do Cotovelo do Tenista

1. Tratamento Convencional

O tratamento para a lesão pode ser simples, com repouso, gelo e interrupção da prática, obviamente.

2. Tratamento Medicamentoso

Em alguns casos, porém, pode ser necessário tomar analgésicos e anti-inflamatórios para diminuir a dor.

3. Tratamento Cirúrgico

Em situações em que os tratamentos convencionais e medicamentosos não deram certo, a intervenção cirúrgica é o tratamento mais indicado.

Compartilhe em suas redes sociais: